Português Italian English Spanish

Porto Mauá Free Shop inaugura em Dezembro

Porto Mauá Free Shop inaugura em Dezembro


A primeira Loja Free Shop na região na cidade de Porto Mauá está prevista para inaugurar em 20 de dezembro de 2019, em um espaço de aproximadamente 500m².

A primeira Loja Free Shop na região na cidade de Porto Mauá está prevista para inaugurar em 20 de dezembro de 2019, em um espaço de aproximadamente 500m².

As lojas francas foram permitidas por lei a mais de cinco anos e passaram diversas regulamentações desde então. Em março de 2018 a Receita Federal publicou a regulamentação que liberava a abertura de lojas francas em fronteiras terrestres no Brasil. A partir de então, estavam livres a funcionar lojas como as que operam em portos e aeroportos, conhecidas como free shop, com regime aduaneiro especial para vender mercadorias nacionais ou estrangeiras sem cobrança de impostos para passageiros em viagem internacional, com pagamento na moeda nacional ou estrangeira.

Confira a reportagem completa:

Questionando o prefeito de Porto Mauá, Leocir Weiss, sobre a abertura do free shop afetaria negativamente ou positivamente o comércio local ele respondeu: “São mínimas as pessoas que levantam essa questão, pois essa loja vai trazer para Porto Mauá um público diferente do que frequenta a cidade hoje em dia. Atualmente o brasileiro vai a Argentina ou Paraguai buscar esses produtos e nós somos uma rota. Agora as pessoas poderão vir aqui e adquirir esses produtos pelo mesmo preço que comprar em outros países, com um custo bem menor pois vão se deslocar menos; então não haverá motivo para esses consumidores interferirem no comércio local negativamente, e sim positivamente. Esse consumidor do free shop vai circular pela cidade, procurar um restaurante, hotel e assim desencadeando um outro tipo de economia para a cidade, e, logicamente, cruzando pelo comércio local e se gostar de algum produto, vai adquirir. Onde cruzam pessoas, cruza dinheiro.

O Prefeito Leocir também enfatizou que a perspectiva da criação dos free shops são boas: “A lei que liberou a abertura foi criada para gerar empregos, não geração de impostos. Os municípios de fronteira não tem grandes indústrias, pois elas não vão sair dos grandes centros de cidades polos para se instalar em cidades fronteiriças, onde a parte política e administrativa do outro lado do rio é diferente”.

Nos free shops poderão gastar até US$ 500, com isenção a cada 30 dias. O que ultrapassar esse valor será taxado com a alíquota de 50%. Os brasileiros também poderão realizar compras nas lojas do lado de cá da fronteira, diferentemente do que ocorre, por exemplo, no Uruguai, onde a população local não é permitida a realizar compras nos free shops do seu país: “Hoje a população da nossa região percorre cerca de 400 ou 500 km para realizar compras, agora vão percorrer 100 ou 200 km comprando aqui na nossa cidade”, disse Leocir.

“A primeira loja vai gerar 18 empregos diretos. Nesse primeiro espaço serão vendidos: bebidas, perfumes, maquiagens, equipamentos eletrônicos, relógios, chocolates”, revelou o prefeito.

Durante a entrevista, que também detalhou a obra, o espaço alugado por quatro investidores, sendo um da nossa região, é uma antiga oficina mecânica: “Os investidores vieram e alugaram o espaço físico da primeira loja, que será de 500m², com um custo de R$ 500 mil reais para remodelar o espaço, juntamente com estacionamento e toda estrutura interior e exterior”.

O grupo de investidores é formado por Brasileiros, Argentinos e Uruguaios: “O investidor uruguaio é representante de uma empresa que a mais de 25 anos é fornecedora de todos os free shops no Uruguai. Até o momento eles não tinham free shop para não concorrer com seus clientes, agora com o surgimento da lei de free shop no Brasil, a empresa resolveu investir em algumas lojas no Brasil”, disse Cleofas Rodrigo Diedrich Moser, secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Desporto de Porto Mauá.

O secretário foi questionado sobre o impacto na comunidade, se já foram visitadas as cidades que hoje contam com free shop e o resultado efetivo no comércio local: “Sim, já visitamos as cidades do lado uruguaio e também no Brasil e o resultado que obtivemos é o melhor possível para as cidades que estão sendo contempladas com free shops (Santana do Livramento, Chuí, Rio Branco), a cidade e toda a região próxima sendo desenvolvidas” disse Cleofas.

Para o mês de março de 2020 está prevista a abertura da segunda loja, onde serão comercializadas confecções de roupas importadas, marcas conhecidas por pessoas que buscam produtos nas fronteiras. O prédio, ao lado da primeira loja, será um segundo espaço também de 500m².

O investimento total das obras, juntamente com a mercadoria que precisa ficar em estoque, é de R$ 7 milhões de reais: “Não terá a venda produtos de segunda linha ou produto pirata, todos os produtos que serão comercializados são originais. A loja abre todos os dias da semana e é esperado um público de 100 a 200 pessoas por dia. As agências de turismo já estão até programando viagens para os turistas realizarem compras no local. Inclusive Santa Rosa vai ganhar com a rede hoteleira e de restaurantes, pois hoje Porto Mauá sozinha não comporta tanto público” reiterou o prefeito.

Durante o programa Conexão que vai ao ar na fanpage do Portal Plural News no facebook, debatido a ampliação de horário de balsa, que seria uma reclamação da população. Também foram abordados os temas da barragem, da ponte internacional e melhorias que serão realizadas na cidade de Porto Mauá ao leito do Rio Uruguai para receber visitantes.

Fonte: https://portalplural.com.br/maua-free-shop-inaugura-em-dezembro/